segunda-feira, 16 de maio de 2011

Mais que lembranças

          Por Tiago Rolim, Neto da Vovó Edith

          Nestes últimos dias, a Banda Cânticos passou por mais uma grande MUDANÇA. Vovó Edith, citada por nós em muitos dos últimos textos como fonte de inspiração para nosso novo trabalho, faleceu.
          Sempre existiu um comportamento que me irrita profundamente que é o de “endeusar” pessoas ou entes quando nos deixam. Muitos se tornam pessoas irreconhecíveis na descrição dos familiares e, às vezes, me levo a pensar: será que esta pessoa que se foi era a mesma pessoa que conheci? Por isso, venho aqui hoje não para engrandecer vovó, mas para “simplificá-la”, pois essa foi a essência de sua vida: SIMPLICIDADE.
    Em meio a um mundo que cada vez mais exalta a “superioridade” e a “grandeza”, onde incompetência quase virou sinônimo de humildade, busco nos atos humildes de minha querida Edithinha a chave para uma vida plena de Deus. Diante deste momento difícil e de dor, poderia estar buscando em grande cerimônias religiosas ou showmissas encontrar a “solução” para meus “problemas”, mas tenho certeza que não é isso que minha vozinha gostaria.
             Vovó sempre acordava todos os dias no “mesmo” horário, tomava seu “mesmo” café da manhã e se sentava calmamente em seu “mesmo” sofá, para rezar suas “mesmas” orações diárias. Jovem e cheio de energia, muitas vezes me irritava com sua “mesmice”, mas hoje agradeço a ela a receita que me deu: encontrar Deus nas pequenas coisas. Logo, não posso deixar de “viver a minha vida” levando sempre que posso em meus atos a lembrança do Senhor.
             São em momentos como esse de aparente sofrimento que percebemos a grandeza de Deus nos acolhendo com sua “simplicidade”, diante de algo que pode parecer insuportável para os outros. A fortaleza e exemplo de minha “Ditinha” me ensina a entender os desígnios e planos do Senhor em minha vida. As pessoas passam por mim e às vezes dizem: “Ele está forte demais, deve estar sofrendo calado...” Mas na verdade não compreende que no silêncio da minha alma consigo, com o exemplo maravilhoso de vovó, transformar qualquer má ideia em amor por aqueles que ficaram comigo e que também me ajudam a seguir.
              Não posso ser hipócrita e não assumir que em muitos momentos a dor chega a me machucar, mas nestes instantes me lembro de uma das músicas preferidas da minha vó e em encontro o consolo de Nossa Mãe: “Minha alma retorna a sua paz, como criança bem tranquila no regaço acolhedor de sua mãe.”

6 comentários:

  1. Tenham certeza de minhas orações para que Deus os console e nossa Mãezinha os cubra com seu manto de amor!!!

    Deus é conosco!!!

    ResponderExcluir
  2. Vovó um grande exemplo de vida para nós....Sua paciencia e simplicidade me encatava muito....Saudades eterna vovó!!!

    ResponderExcluir
  3. ;saudades de mais ....

    ResponderExcluir
  4. Realmente ela merece que se respeite muito sua memória. Que ninguem venha condenar o que ela fez em vida, não tem este direito.

    ResponderExcluir
  5. Saudades maezinha, a senhora era tudo isso e muito mais.

    ResponderExcluir